Quem somos

Beatriz Braga

Meu nome é Beatriz Braga e sou formada em Ciências Sociais. A antropologia sempre me interessou por me ajudar a compreender o mundo em que vivo e as relações que me perpassam. Gosto de arte, literatura, cultura material, cinema, enfim, todo tipo de expressividade que envolve outras sensibilidades. Através do Podcast Selvagerias, pude trabalhar algumas questões que sempre me instigaram e espero que possam instigar quem nos encontrar! Com esperança de que nos transformemos mutuamente, deixo aqui meu desejo de boas reflexões a todos nós!


Lucas Lippi

Um caiçara moderno perdido na capital paulista. Atualmente, estou no mestrado em Antropologia Social na USP e pesquiso como as mudanças paisagísticas aparecem nos discursos e narrativas orais caiçaras. Astrólogo em formação, interesso-me pelas relações entre ciência e saberes populares, já que a antropologia nos ensina que por trás de alguns conhecimentos existe muita pesquisa, muito teste e muita experiência. O Selvagerias, pra mim, tem esse intuito de mostrar como a antropologia, nos contatos inusitados que proporciona, tem a potência de impactar nosso cotidiano – individual e coletivo.


Tainá Scartezini

Sempre que me perguntam de onde sou, acho muito difícil responder. De família gaúcha, nasci no interior de Santa Catarina, mas acabei em São Paulo, onde me formei em Ciências Sociais pela USP. Atualmente, me interesso bastante por ficção científica e pela intersecção entre a etnologia e a antropologia da ciência e da tecnologia.  Mas, pr’além disso, como boa neta de pequenos agricultores, adoro plantas e bixinhos, e é por isso que venho tentando fazer micropolítica na cidade grande, conjurando os saberes do campo no meu cotidiano. Espero que este podcast, de algum modo, ajude a semear reflexões e práticas de escuta, tão em falta nesse momento.


Mateus Bravin Lopes

Filho de casal de jornalistas, deixou a música de lado momentaneamente para investir na formação acadêmica. Bacharel em Audiovisual, está próximo de se graduar em Letras com habilitação em português/alemão e de especializar-se como jornalista científico. Trabalha esporadicamente com cinema e educação e junta dinheiro para sair da casa dos pais e comprar uma bateria. 


Frederico Sabanay

Originário do mar do litoral paulista e com raízes fortes nos rios do Vale do Ribeira, veio parar na cidade de São Paulo ao entrar no curso de Ciências Sociais da USP. Em eterna formação, concilia o bacharel e a licenciatura com a vida endoidecida da cidade e busca dar pitacos em áreas como audiovisual, música, educação, antropologia, política e meio ambiente.